Ouvir o que o carioca tem a dizer sobre a nossa cidade e o que deseja para ela no futuro foi prioridade na construção da Visão Rio 500.
Era essencial entender quais os principais desafios e oportunidades do Rio de Janeiro sob o olhar de quem vive nele. Para alcançar um público diversificado e conseguir uma efetiva participação popular, criamos inúmeras iniciativas:

 

 

 

Como o carioca foi ouvido?

Ampliação e criação de oito novas formas de escuta.

Escutar o cidadão já havia sido uma preocupação no Planejamento Estratégico passado e, por isso, foi criado o Conselho da Cidade, além da realização de pesquisas de opinião com cariocas nas ruas da cidade.
Contudo, para a Visão Rio 500 e o novo Planejamento Estratégico do Rio de Janeiro, ouvir os cariocas foi prioridade e, para isso, o Conselho da Cidade e a Pesquisa com cidadãos foram ampliados e também criadas oito novas formas de escuta.

Como os cariocas ajudaram a elaborar a Visão Rio 500 e o Planejamento Estratégico de 2017-2020 para a cidade que amam?

 

 

 

Conselho da Cidade

O Conselho da Cidade foi ampliado de 150 para 300 participantes.

Criado no planejamento anterior com o objetivo de ser um fórum consultivo que auxiliasse na revisão e acompanhamento do Planejamento Estratégico, o Conselho da Cidade é composto por representantes de diversos setores da economia da cidade.
No planejamento atual, o Conselho foi ampliado de 150 para 300 integrantes que passaram a não apenas revisar e acompanhar, mas também a participar do processo de criação.

 

 

 

Pesquisa com cidadãos

Foram ouvidos 1.400 cidadãos.

Foram entrevistados qualitativamente 13 grupos representativos da população da Cidade. A partir disso, conhecemos melhor o perfil do carioca e como ele enxerga nosso futuro, o que nos permitiu criar um questionário quantitativo significativo para a criação do planejamento através do qual 1.400 cidadãos foram ouvidos.

 

 

 

Rede das Redes

Diversas instituições foram convidadas a debater a cidade.

Uma das formas mais criativas de capturar a colaboração da sociedade para a formulação da Visão Rio 500 e do Planejamento Estratégico foi a concepção da Rede das Redes. Esse conceito partiu do entendimento de que inúmeras instituições promovem e participam de redes de colaboradores, e que as questões públicas são parte importante dos interesses dessas redes.
Sendo assim, a Prefeitura convidou instituições de diversas naturezas, desde organizações sociais ligadas ao meio ambiente a associações de classe, fundações e representantes empresariais, instituições de ensino e pesquisa, ONGs e outros potenciais parceiros.

Em torno de 40 instituições atenderam ao chamado e disponibilizaram suas redes de contatos, assim como trabalhos conduzidos sobre o futuro do Rio de Janeiro, gerando conhecimentos específicos fundamentais para a Visão e o Planejamento.

E foi através dessas instituições que conseguimos entrevistar cerca de 40 especialistas em diversos tópicos importantes para a Cidade. Com essa forma de escuta mais próxima, foi possível extrair um conhecimento específico, que foi posteriormente essencial para a definição dos eixos da Visão.
Foi também através da Rede das Redes que surgiram diferentes formas de debate. Um grande exemplo foi o Vral.Con – Visão Raquer de Construção de Narrativas –, que foi organizado por um grupo de 50 líderes sociais visionários que, além de compor o nome e a identidade visual do evento, convocou sua rede para debater a Cidade na Incubadora Rio Criativo e fez sua própria síntese do que foi debatido.

 

 

 

 

Diálogos com o Futuro

400 especialistas reunidos para falar dos desafios e oportunidades da Cidade.

Para entender melhor os principais desafios e oportunidades da cidade, foi importante ouvir especialistas. Assim, o grande evento “Diálogos com o Futuro” foi criado e contou com:
- cinco dias de debates, direcionando cada dia para um grande eixo da visão de futuro da cidade;
- 400 especialistas, dentre eles 50 palestrantes nacionais e internacionais;
- Todas essas palestras foram transmitidas ao vivo pelo site www.visaorio500.rio e também nas Naves de Conhecimento espalhadas pela cidade.
- Participantes se dividiram em grupos de trabalho para discutir suas aspirações para o futuro do Rio de Janeiro.

 

 

 

Diálogos Setoriais

O objetivo foi discutir setores como turismo, infraestrutura, ciências da vida e saúde, tecnologia e inovação e economia criativa.

Tendo em mente que o sucesso econômico da Cidade é pré-condição para alcançar das metas sociais, buscamos aprofundar o debate e as diretrizes para setores específicos de nossa economia, considerados mais vantajosos à luz das vocações do Rio. Para aprofundar esse debate, um dia de evento específico foi realizado.
Especialistas nas áreas de turismo, ciências da vida e saúde, tecnologia e inovação, economia criativa, finanças (seguros e resseguros) e infraestrutura de Logística e Distribuição reuniram-se e produziram recomendações para alimentar tanto a Visão Rio 500 quanto o Planejamento.

 

 

 

Diálogos Internos

Membros integrantes da nossa Prefeitura debateram e apresentaram propostas para o Rio do futuro.

O conhecimento dos servidores públicos também foi muito importante na construção da Visão Rio 500 e mais ainda do Planejamento Estratégico 2017-2020.
Com a experiência acumulada em muitos anos de convivência com as questões da Cidade, os servidores (e também ex-servidores) contribuíram com aspirações, informações históricas, análises técnicas e até mesmo iniciativas em diversos estágios de concepção.

 

 

 

Conselho da Juventude

Educação para que a população entenda que a rua é uma extensão da nossa casa.

Composto por 100 pessoas de 14 a 29 anos, representativos dos diferentes grupos da sociedade carioca, o Conselho da Juventude foi criado para debater vários desafios e oportunidades da Cidade sob a ótica daqueles que serão essenciais na construção do futuro.
Em discussão sobre suas aspirações, os jovens ajudaram a construir a Visão Rio 500. Juntos, traduziram seu sonho de uma cidade mais integrada, com equidade de oportunidades, valorização da cultura local e qualidade de serviços e espaços públicos.

 

 

 

Concurso de Redação

“E daqui a 50 anos? Qual Rio de Janeiro você quer quando crescer?”

Nossas crianças também tiveram chance de se envolver com a Visão Rio 500. Nada mais justo, afinal são elas que vão viver o Rio do futuro.
Para isso, foi criado um concurso de redações com alunos de 8º e 9º anos, sendo que os 100 melhores textos escolhidos em parceria com a Associação Brasileira de Letras vão virar livro em 2016 e já estão na Cápsula do Amanhã, uma caixa do tempo que ficará no Museu do Amanhã e será aberta em 2065.

 

 

 

Escutar para Governar

Novos mecanismos criados para ouvir os cariocas das 33 regiões administrativas da Cidade.

O envolvimento contínuo da sociedade civil com o futuro da Cidade é essencial para que o planejamento e a visão reflitam os sonhos de sua população e, mais do que isso, para garantir que ele perdure ao longo dos anos.
O Rio de Janeiro do futuro terá seus cidadãos ativos na construção e no acompanhamento dos planejamentos da Cidade. Isso começou agora com os novos mecanismos criados para ouvir o carioca. Entre eles, está a série de eventos “Escutar para Governar”, que buscou conhecer os desafios, oportunidades e sonhos das regiões administrativas da Cidade.

 

 

 

Plataforma Digital

Mais de 1.500 pessoas publicaram seus sonhos e ideias.

A Plataforma trouxe a Visão do cidadão carioca sobre os sonhos e desafios da Cidade.
A Plataforma Web foi uma ferramenta de engajamento aberta a toda a população. Sendo divulgada nas redes sociais, permitiu ouvir um número considerável de cidadãos, que descrevem seus sonhos e projetos para o futuro da Cidade. Foi concebida para ser utilizada por etapas: na primeira etapa os cidadãos refletiram sobre a Cidade que desejavam para o futuro. Na segunda, após compartilhar seus sonhos, os cidadãos puderam votar nas propostas que mais gostaram para compor a Visão.