Visão Rio 500

Território Conectado, Integrado e Democrático

Há 451 anos, o Rio é uma cidade de encher os olhos. Agora, a gente precisa voltar o olhar para os próximos 50 anos.

Vamos apresentar a visão do Rio de Janeiro para daqui a 50 anos. A definição dessa visão serve como guia para o restante do trabalho, pois, antes de começarmos a caminhar, precisamos saber em que direção queremos ir.

Primeiro, definimos o “Ser Carioca”, uma vez que um dos pontos mais característicos e especiais do Rio de Janeiro são seus habitantes.

Em seguida, definimos 6 temas que representam as diversas facetas da Cidade e, consequentemente, da vida de seus cidadãos:

 

  • Tema 1 - Alto Valor Humano: Equidade de Oportunidades e Cidadania
  • Tema 2 - Rio de Janeiro: Fonte de Bem-estar, Qualidade de Vida e Dignidade
  • Tema 3 - Cidade Verde, Sustentável e Resiliente
  • Tema 4 - Território Conectado, Integrado e Democrático
  • Tema 5 - Cidade Competitiva, Inovadora e de Oportunidades
  • Tema 6 - Governança e Reinvenção Sustentável da Máquina Pública

 

Navegue por cada tema, descubra e se surpreenda com o Rio do Amanhã. Você também pode assistir aos bastidores no Making Of da Visão Rio 500 e baixar o conteúdo completo do livro O RIO DO AMANHÃ. Boa viagem ao futuro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Introdução

O Ser Carioca hoje e a visão de futuro

Colaboração: Eliana Sousa Silva, diretora da Redes da Maré.

O Ser Carioca, em sua pluralidade, varia de acordo com épocas históricas específicas, com as peculiaridades territoriais e com a experiência individual de cada um. A definição de Ser Carioca também vai muito além dos que nasceram no Rio de Janeiro. A Cidade acolhe pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo. Assim, podemos afirmar que cariocas são todos aqueles que transformam o Rio de Janeiro em seu lar. Ter uma identidade em construção nos permite sonhar não apenas com a Cidade que queremos ter daqui a 50 anos, mas também qual é o cidadão que queremos ser – qual o Ser Carioca que queremos ter vivendo em nossa cidade daqui a 50 anos? E mais ainda, qual a cidade que precisamos ter para acolher o Ser Carioca que sonhamos daqui a 50 anos? A Visão Rio 500 não tem como ambição definir quem é o Ser Carioca que queremos, e sim um convite aberto a essa reflexão.

 

 

 

 

Introdução

Visão geral dos 6 temas

Colaboração: Eliana Sousa Silva, diretora da Redes da Maré.

A partir da definição de colocar o cidadão – o Ser Carioca – no centro da Visão Rio 500 foram definidos seis temas transversais que constituiriam as referências para a materialização da Visão e das proposições das ações estratégicas para o próximo ciclo de quatro anos da Cidade:

 

 

 

 

Os temas são abrangentes: da valorização das dimensões dos direitos subjetivos do cidadão, suas condições de vida e exercício da cidadania à compreensão das condições de inserção do Rio de Janeiro no contexto global, sem ignorar a importância da questão ambiental e o desafio de construir mecanismos de representação política que sejam consonantes com os desejos da maior parte da população de um Estado mais eficiente, republicano e comprometido com a democracia. Eles foram pensados levando em conta questões centrais para a vida contemporânea e aspectos que caracterizam a dinâmica de vida carioca.

 

“Eles se sustentam em três bases fundamentais: os cariocas, os territórios e os ambientes naturais, e o ambiente econômico e político que os cerca.”

 

O primeiro elemento estruturante dos eixos é o desenvolvimento do próprio cidadão (“Alto valor humano: equidade de oportunidades e cidadania”) e da sua possibilidade de desfrutar a Cidade (“Rio de janeiro: fonte de bem-estar, qualidade de vida e dignidade”). Esses temas abordam a formação intelectual, cultural e de valores do cidadão, assim como seu bem-estar e sua qualidade de vida – uma mente sã, um corpo são.

O segundo elemento é o reconhecimento da importância da dimensão geográfica da Cidade, reconhecida mundialmente pela combinação harmoniosa de natureza exuberante (“Cidade verde, sustentável e resiliente”) e desenvolvimento urbano (“Território conectado, integrado e democrático”).

Por fim, o último elemento trata principalmente da criação das condições necessárias para que possamos ter de fato a valorização do carioca, do território e do meio ambiente, em termos da economia (“Cidade competitiva, inovadora e de oportunidades”) e de sua gestão e organização política (“Governança e reinvenção sustentável da máquina pública”).